Perspectivas para o desenvolvimento

Perspectivas para o desenvolvimento

R$ 1,00Preço

por Fabiana de Menezes Soares, Nicolau Eládio Bassalo Cripsino, Adriana Goulart de Sena Orsini, Daize Fernanda Wagner (org.)

 

1ª edição digital - Belo Horizonte : Initia Via, 2020. (Série Sociedade, Direito & Justiça, volume 3)

 

ISBN 978-85-9547-053-8 

DOI: 10.17931/95470538

  • Em junho de 2017 foi realizado o Seminário Direito, Justiça e Sociedade: perspectiva sobre a pesquisa no Brasil, na Universidade Federal do Amapá, organizado pelos alunos do DINTER, naquele momento já doutores em Direito pela UFMG. O auditório estava lotado e uma equipe de alunos de graduação se desdobrava para garantir o bom andamento da programação do evento, inclusive das comunicações e das palestras dadas pelos recém-doutores.

     

    Esse seminário pode ser comparado a uma semente, marca o fim do DINTER, e o nascimento de uma etapa para o Estado do Amapá. Para nós, mais um momento de grande emoção, talvez o maior de todos. Pois vimos nossos alunos, agora amigos queridos, culminarem uma etapa importante de suas vidas, tendo vencido tantos obstáculos e dificuldades.

     

    E vimos gerações de novos alunos. Diferentemente daquele primeiro momento de incógnita e quase desconfiança, em que legitimamente eles se perguntavam o porquê de seus professores cursarem o doutorado, no seminário vários alunos comentaram conosco que seus professores tinham se transformado em seus exemplos e que eles desejavam estudar e quem sabe também fazer carreira acadêmica.  

     

    Esse Estado e esse povo com suas peculiaridades e sabedoria têm muito a oferecer ao País. Desejamos que essa experiência tenha sido somente o início de um processo mais amplo de consolidação da pesquisa científica no Norte, sabedores de que o Brasil ainda amarga uma profunda disparidade regional de condições para a realização dessas atividades, sendo esta a região mais desfavorecida.  

    Acreditamos que a educação tem papel fundamental no desenvolvimento sustentável do Estado do Amapá, por conta de algumas de suas incríveis peculiaridades, entre as quais, a proximidade com países de distintas línguas oficiais, notadamente espanhol, inglês e francês; a forte ligação com a Floresta Amazônica, com os variados povos que a habitam e recursos naturais de grande significado; e a feliz circunstância de ter a capital situada simplesmente na esquina do Rio Amazonas com a Linha do Equador.

    Giordano Bruno Soares Roberto e Maria Fernanda Salcedo Repolês

  • Memória    5

    Giordano Bruno Soares Roberto

    Maria Fernanda Salcedo Repolês

    DOI: 10.17931/95470538/a0

     

    Capítulo 1 – O princípio federativo e a questão dos royalties do petróleo: breves reflexões críticas    12

    Misabel de Abreu Machado Derzi

    DOI: 10.17931/95470538/a1

     

    Capítulo 2 – Fundamentos para uma partilha igualitária dos “royalties” petrolíferos:  petróleo com justiça social    48

    Iaci Pelaes dos Reis

    DOI: 10.17931/95470538/a2

     

    Capítulo 3 – Sobre as origens dos temas de Legística no Programa de Pós- Graduação em Direito da UFMG: uma proposta para uma “Moção Parlamentar”    83

    Fabiana de Menezes Soares

    DOI: 10.17931/95470538/a3

     

    Capítulo 4 –  Magazão Velho, uma cidade entre dois continentes: relato de experiência de projeto de extensão desenvolvido no município de Mazagão, no estado do Amapá    96

    Daize Fernanda Wagner

    Nicolau Eládio Bassalo Crispino

    DOI: 10.17931/95470538/a4

     

    Capítulo 5 – Acessibilidade cidadã: a utilização de canais institucionais típicos de engajamento democrático no Brasil    119

    Rafael da Silva Menezes

    Mariah Brochado Ferreira

    DOI: 10.17931/95470538/a5

     

    Capítulo 6 –  Direito, inovação e sustentabilidade:  gestão de desafios no sistema de inovação brasileiro    146

    Linara Oeiras Assunção

    DOI: 10.17931/95470538/a6

     

    Capítulo 7 –  A relação entre o Incidente de Resolução de Demandas Repetitivas e a Ação Coletiva para defesa dos direitos individuais homogêneos, com ênfase na coisa julgada    164

    Carlos Fernando Silva Ramos

    DOI: 10.17931/95470538/a7

     

    Capítulo 8 – Uma análise do instituto da coisa julgada no processo civil brasileiro: para além da relativização     190

    Simone Maria Palheta Pires

    Adriana Goulart de Sena Orsini

    DOI: 10.17931/95470538/a8

     

    Capítulo 9 – A codificação do dolo eventual no movimento para a reforma do Código Penal italiano    217

    Sheila Jorge Selim de Sales

    DOI: 10.17931/95470538/a9

Dificuldades para baixar o livro? Clique aqui ou contate suporte@initiavia.com.

  • Facebook
  • Twitter
  • White Instagram Icon

Initia Via Editora Ltda. ©2011-2020 

CNPJ 13.676.025/0001-51