• Facebook
  • Twitter
  • White Instagram Icon

CNPJ 13.676.025/0001-51

Initia Via Editora Ltda. ©2011-2020 

Questões trans

R$ 1,00Preço

Questões trans: o sagrado crime da divergência

 

Anais do III Congresso de Diversidade Sexual e de Gênero, volume 3

 

por Gabriela Dantas Rubal, Letícia Leite e Marcelo Maciel Ramos (org.)

 

1ª edição. Belo Horizonte: Initia Via, 2019, 198p.

ISBN: 978-85-9547-068-2

DOI: 10.17931/95470682

  • Este livro é o resultado das discussões e trabalhos apresentados nos grupos de trabalho do III Congresso de Diversidade Sexual e de Gênero, que promoveu discussões e reflexões de estudantes e ativistas sobre questões relativas à população transexual e travesti. Em um contexto de tantas inseguranças e incertezas, faz-se necessário discutir este tema cada vez mais, principalmente no país que mais mata LGBT+s no mundo.

        Quanto à escolha do título, colhemos como referência a frase da militante política Pagu, ícone da resistência durante o período da ditadura militar no Brasil: “Esse crime, o crime sagrado de ser divergente, nós o cometemos sempre’’. As questões trans: o sagrado crime da divergência vem, então, como meio de honrar aqueles corpos que, por meio de tanta dor e violência, abriram caminho para que hoje, tenhamos mais voz. Mas também, nos servem de inspiração de luta e resiliência, nos mostrando que os desafios nunca acabam. O crise de ousar ser quem somos, cometemos e cometeremos sempre. 

        É importante dizer que utilizamos a expressão “pessoas trans” como termo guarda-chuva, como forma de englobar em um único conceito corpos que, de alguma forma, transgridem a estrutura identitária de gênero. É um termo múltiplo, que vai além das definições normativas binárias existentes e, por esse motivo, não classificaremos suas identidades. 

    O presente volume trata da luta pela cidadania e pelo reconhecimento desses corpos. Em tempos de violência institucionalizada, tratamos principalmente daquela que é a maior máquina de violência e poder: o sistema punitivo. Neste tema, os ensinamentos do sociólogo Michel Foucault em sua obra Vigiar e Punir (1975, p. 25): “os sistemas punitivos devem ser recolocados em uma certa ‘economia política’ do corpo: ainda que não recorram a castigos violentos ou sangrentos, mesmo quando utilizam métodos ‘suaves’ de trancar ou corrigir, é sempre do corpo que se trata – do corpo e de suas forças, da utilidade e da docilidade delas, de sua repartição e de sua submissão.’’

    Esperamos que a leitura dos artigos escolhidos para compor esse volume seja capaz de provocar não só questionamentos, mas efetiva mudança. Em um momento tão delicado para as pesquisas de gênero e sexualidade, desejamos que este livro estimule a resistência e seja alimento ao nosso crime. - A organização.

     

  • CAPÍTULO 1

    A pessoa transgênera e a previdência social: o desafio perante a omissão legislativa e insegurança jurídica no que tange ao critério de concessão de aposentadoria por idade e por tempo de contribuição

    Leandra Chaves Tiago, Davi de Paula Alves e Letícia Mirelli Faleiro Silva Bueno

    DOI: 10.17931/95470682/v3a01

     

    CAPÍTULO 2

    Feminilidades trans e cárcere: diálogos possíveis por trás das grades

    Rosalice Lopes e Giovanna Loubet Ávila

    DOI: 10.17931/95470682/v3a02

     

    CAPÍTULO 3

    Transgêneros encarcerados: as consequências de um sistema penitenciário homogeneizado

    Fabiana Gil de Pádua e Maria Clara Silveira Machado de Campos

    DOI: 10.17931/95470682/v3a03

     

    CAPÍTULO 4

    A retificação do registro civil do transexual sob a perspectiva do projeto constitucional democrático

    Mariana Tamara de Lima Oliveira, Michele Rocha Côrtes Hazar e Thiago Henrique Lopes de Castro

    DOI: 10.17931/95470682/v3a04

     

    CAPÍTULO 5

    TRANS + RESPEITO

    Priscila Frisone Costa e Andréia da Silva Lima

    DOI: 10.17931/95470682/v3a05

     

    CAPÍTULO 6

    O direito de aposentadoria das pessoas transgênero

    Bruno Valente Ribeiro, Deo Campos Dutra e Dylan Robert David Silva

    DOI: 10.17931/95470682/v3a06

     

    CAPÍTULO 7

    Seguro: resposta institucional para a estigmatização sofrida por adolescentes transexuais

    Eduardo Moureira Gonçalves, Carlos Vinícius Silva Pinheiro e Ana Paula Cristina Oliveira Freitas

    DOI: 10.17931/95470682/v3a07

     

    CAPÍTULO 8

    A desumanização de mulheres transgênero em situação carcerária no Brasil

    Marco Antônio Irineu e Silvia Helena Rigatto

    DOI: 10.17931/95470682/v3a08

     

    CAPÍTULO 9

    Transgredindo e transformando: uma análise queer da transexualidade diante da ordem discursiva cisheteronormativa

    Marina Silveira e Patrícia Borba Marchetto

    DOI: 10.17931/95470682/v3a09

     

    CAPÍTULO 10

    A ADI 4.275 e a subjetividade identitária das pessoas transgêneros: questões de cidadania

    Lucimara Lopes Keuffer Mendonça

    DOI: 10.17931/95470682/v3a10

     

    CAPÍTULO 11

    A ADI 4.275 e a mudança de paradigmas sobre travestis, transgêneros e transexuais no ordenamento jurídico brasileiro

    Maurinice Evaristo Wenceslau e Antônio Rodrigues Neto

    DOI: 10.17931/95470682/v3a11

     

    CAPÍTULO 12

    Mulheres transexuais e travestis no cárcere: uma análise sob a perspectiva da criminologia queer

    Bruna Souza Costa e Paulo e Lorena de Oliveira Severino

    DOI: 10.17931/95470682/v3a12